Como cientistas querem usar DNA para armazenar dados

Cientistas querem usar DNA para armazenar dados

Armazenados na forma de DNA, todos os filmes já produzidos caberiam em um espaço menor que um cubo de gelo.

Cientistas afirmam que deram um passo importante rumo ao armazenamento de informações na forma de moléculas de DNA, que são mais compactas e duráveis que outros meios de armazenamento.

Os discos rígidos magnéticos que usamos atualmente para armazenar dados de computador podem ocupar muito espaço – e precisam ser substituídos ao longo do tempo.

O uso do meio de armazenagem preferido dos organismos vivos como backup dos nossos preciosos dados permitiria arquivar imensas quantidades de informação em moléculas minúsculas. Esses dados durariam milhares de anos, segundo os cientistas.

Uma equipe em Atlanta, nos Estados Unidos, acaba de desenvolver um chip que, segundo eles, poderá multiplicar por 100 a qualidade das formas existentes de armazenamento em DNA.

“A quantidade de funções do nosso novo chip já é [cerca de] 100 vezes maior que os dispositivos comerciais atuais”, segundo informou à BBC News o pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas da Geórgia (GTRI, na sigla em inglês) Nicholas Guise.

“Depois que adicionarmos todos os controles eletrônicos – o que faremos no próximo ano do programa -, esperamos aprimorar em cerca de 100 vezes a tecnologia existente de armazenamento de dados em DNA”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Whatsapp